Carnaval: Estrela do Terceiro Milênio traz homenagem a Paulo Gustavo

Por - 18/02/23 às 23:15

Retrato Paulo GustavoDivulgação/João Cotta/TV Globo

Neste sábado, 18 de fevereiro, a Estrela do Terceiro Milênio abriu a segunda noite de desfiles do grupo especial de São Paulo e estreou com o pé direito.

Leia+: Carnaval: Anitta se veste de cabloca e faz reflexão histórica e religiosa

A escola de samba levou para a avenida o samba enredo “Me dê sua tristeza que eu transformo em alegria! Um tributo à arte de fazer rir”.

O último carro que entrou no Sambódromo do Anhembi homenageou grandes nomes do humor, entre eles Paulo Gustavo, que morreu em 2021 vítima de Covid-19. A alegoria mostra Paulo descansando nos braços de Cristo, que exclama “Menino, você é mesmo uma peça”.

Leia+: Carnaval: Ex-BBB Rodolffo e Léo Picon se encontram nos bastidores

“Eu também tive Covid e o carnavalesco me convidou porque eu sobrevivi e infelizmente o Paulo não. Na frente venho eu representando a vida, e atrás, o Paulo Gustavo descansando nos braços do Senhor”, disse Sorriso, Rei Momo do Carnaval 2019.

Carro da Estrela do Terceiro Milênio homenageou Paulo Gustavo
Carro da Estrela do Terceiro Milênio homenageou Paulo Gustavo – Foto: Divulgação

No desfile, Marcelo Adnet também fez questão de homenagear o humorista. Marcelo usou uma camiseta com uma famosa frase de Paulo Gustavo escrita: “Rir é um ato de resistência”.

Marcelo Adnet homenageou Paulo Gustavo no desfile
Marcelo Adnet homenageou Paulo Gustavo no desfile – Foto: Leo Franco/AgNews

Um dos carros alegóricos contou com a presença de diversos humoristas, como Grace Gianoukas, Marcelo Tas, entre outros.

Humoristas desfiam pela Estrela do Terceiro Milênio
Humoristas desfiam pela Estrela do Terceiro Milênio – Foto: Leo Franco/AgNews

O SAMBA

Os compositores Pitty di Menezes, Thiago Meiners, Claudio Mattos, Wilson Mineiro e Marquinhos Bonsucesso assinam a obra que contagiou a avenida

Confira a letra:

Sou eu
O gesto que faz sorrir
Sou eu, sou eu
Comédia profana e sagrada
Fui sátira em nobre ritual
Um bobo nem tão bobo assim
E vi na era medieval
A corte a brindar por mim
Renasci pelas ruas num ato de amor
Papel de improviso a fazer gargalhar
Tirando onda da nobreza
Ri da tristeza pra vida recomeçar

Caminhando contra o vento e a repressão
Fiz de um traço arma pra revolução
Driblei a censura, dei fim ao segredo
Pra esperança vencer o medo

Em inesquecíveis personagens
No cinema, luz da inspiração
Do rádio à tela da TV
Pro mundo na palma da mão
Sou o riso da criança
O remédio para sua dor
No sofá ou no banco da praça
Em toda forma de expressar humor
Notas musicais, mestres geniais
Arte que vai resistir
Bravo! É tempo de sorrir

Deixa a tristeza pra lá, sou alegria
Minha coruja a voar ao infinito
A estrela que brilha mais forte no céu
É o Grajaú pra conquistar o seu sorriso

Siga OFuxico no Google News e receba alertas sobre as principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!

Tags: ,


×