Luísa Sonza: Psicólogo fala de traumas do amargo sabor de uma traição

Por - 20/09/23 às 14:52

Luísa Sonza com cara de choroFoto: Reprodução TV Globo/Mais Você

Nesta quarta-feira, 20 de setembro, Luísa Sonza fez um desabafo emocionante e, com uma enorme garra, revelou ter se separado de Chico Moedas, após ser traída por ele, durante conversa com Ana Maria Braga, no programa “Mais Você”, da TV Globo.

Mas, o que faz o sentimento de ser traída (o)? Quais são as dores deixadas; o que uma pessoa traída vive após isso tudo? Como se reerguer e tentar acreditar em alguém novamente? Pensando no assunto delicado, que machuca não só o corpo, mas também a alma de quem descobre uma traição, OFuxico conversou com o Psicólogo Alexander Bez, Especialista em Relacionamentos pela Universidade de Miami (UM), para entender um pouco sobre as reações de quem sentiu na pele algo tão doloroso e amargo de engolir.

Acompanhe:

OFuxico – Quem trai, tem a ideia da destruição que causa no outro?

Alexander Bez – A traição é sempre uma condição amarga de se sentir. Quanto maior for a paixão envolvida, maior será a dor provocada por essa ação. Não. Quem trai, não se coloca na pele do outro, em razão dessa não associação; não liga para o sofrimento que provocou. A traição envolve não só a falta de respeito à própria relação estabelecida, mas principalmente uma extrema falta de consideração à pessoa que era chamada de amor. Demonstrando uma apatia relacional total.

OFuxico – Para um novo relacionamento, é possível voltar a acreditar e amar alguém? Na vida, sempre teremos o “pé atrás” com as pessoas que se aproximam de nós? Após várias traições, é ainda válido tentar encontrar o amor de verdade?

Alexander Bez – Sim, é possível. Mas psicologicamente falando, o ideal é que haja um tempo considerável de distância entre o antigo relacionamento (após o término) e um novo relacionamento. Encerrar essa relação na mente é fundamental para que não haja associações, nem tão quanto comparações, principalmente em nível inconsciente. É indicado também que a próxima relação tenha uma base sólida de ‘pré-conhecimento’ do caráter da pessoa, e um conhecimento maior ainda ao longo do expediente da relação, antes que a pessoa se entregue novamente ao amor, e aí ter problemas de novo, colecionando fracassos. Essa condição pode desencadear uma tipologia psicológica de medo relacional, onde a pessoa sofrida irá desenvolver uma sintomatologia específica no sentido de não entrar mais em relacionamentos e se isolar conjugalmente.

Alexander Bez é Especialista em Saúde Mental; Especialista em Ansiedade e Síndrome do Pânico pela Universidade da Califórnia (UCLA) e Especialista em Relacionamentos pela Universidade de Miami (UM)
Alexander Bez é Especialista em Saúde Mental; Especialista em Ansiedade e Síndrome do Pânico pela Universidade da Califórnia (UCLA) e Especialista em Relacionamentos pela Universidade de Miami (UM) – Foto: Divulgação

OFuxico – Essa condição, como se chama?

Alexander Bez – A essa condição se dá o nome de ‘Transtorno de Stress Pós-Traumático’ – na vertente relacional. Ter as devidas reticências conjugais é essencial para não adquirir novas dores. Por isso, avaliar e observar as ações são primordiais, muito mais do que apenas palavras. Há pessoas que têm mesmo o DNA da traição, possuindo prazer e satisfação ao trair. Outras, têm imaturidade, já outras apresentam baixa autoestima e precisam trair para se autoafirmar. Outras, ainda, possuem compulsão por trair. Entretanto, a melhor dica é mesmo conhecer o parceiro. Sendo fundamental para não se adentrar em determinada relação, assim evitando maiores sofrimentos.

OFuxico – Como se levantar, depois de uma traição?

Alexander Bez – Nunca é fácil. Envolve muita elevação da autoestima e muito amor próprio. O levantar se dará através de uma pausa, em primeiro lugar, e não entrar em um novo relacionamento logo de cara. Muito diálogo da própria pessoa com ela mesma, muita auto reflexão, e é muito importante também se ausentar da culpa. Passando esses passos, investir nela mesma, como por exemplo indo à academia, mantendo uma vida social ativa, viagens, etc. Em muitos casos, é indicado também sessões de terapia, para ajudar a elevar a autoestima.

OFuxico – Quando a traição é recorrente, o que temos que mudar em nós?

Alexander Bez – A escolha da pessoa. Fundamentalmente. Assim, como não confiar em ninguém logo de cara. Avalie primeiro, conheça a pessoa e averigue quais são os interesses dela com você! Principalmente quando se trata de uma pessoa famosa. Há muitos interesses envolvidos ao namorar famosoas. Mas a dica para todos: Teste, crie oportunidades para esses testes. Avalie o humor, palavras não são nada, ações são tudo. Perceba como a pessoa age e se há sinceridade no olhar e ao se expressar, assim como anda a aproximação da mesma com você!

Tags: ,

Pioneiro no Brasil em cobertura de entretenimento, famosos, televisão e estilo de vida, em 24 anos de história OFuxico segue princípios editoriais norteados por valores que definem a prática do bom jornalismo. Especializado em assuntos do entretenimento, celebridades, televisão, novelas e séries, música, cinema, teatro e artes cênicas em geral, cultura pop, moda, estilo de vida, entre outros.