Pantanal: Alanis Guillen ganhou o Brasil como Juma Marruá

Por - 07/10/22 às 12:10

Alanis Guillen como Juma Marruá em PantanalAlanis Guillen como Juma Marruá em Pantanal. Foto: Reprodução/TV Globo

A menina-onça de “Pantanal”, Globo, estreou a novela como protagonista. Sua história prometia ser o foco da trama de Bruna Luperi (remake do folhetim de mesmo nome de Benedito Ruy Barbosa). Alanis Guillen ficou sob responsabilidade de dar vida à personagem.

Leia+: Pantanal: Filhos de Bruno Luperi participam do último capítulo

Apesar da promessa, não faltaram críticas e comparações à atriz. Afinal, a personagem de Cristiana Oliveira, da versão de 1990, foi um sucesso em todo o país. A carga era pesada demais e, ainda assim, Alanis comprou a ideia.

Juma nasceu no começo de “Pantanal” atraindo a atenção do público. Afinal de contas, como a atriz iria interagir com a onça-pintada? Quais efeitos apareceriam? Como a produção colocaria menina e fera frente a frente? O mistério pegou a audiência no laço nas primeiras semanas.

Leia+: Peões em Pantanal tiram o fôlego em capa de revista. Veja!

A história de Juma Marruá seguiu como na trama original: ela foi indomável, inacessível, forte e, em determinados momentos, feroz. Bruno Luperi criou a lenda da “Menina que Vira Onça” muito bem – e o interesse da audiência seguiu.

Contudo, surgiu a pergunta: até onde a história da personagem que vive isolada na tapera pode ir? O romance com Jove (Jesuíta Barbosa) começou, as interações com o Velho do Rio (Osmar Prado) ficaram mais frequentes e os ganchos começaram a se formar.

Leia+: Elenco de Pantanal se despede de Rafa Sieg, intérprete de Solano

Então veio o marasmo. Jove ensinou Juma a ler, ele se mudou para a tapera, depois tentou levar ela para a casa de Zé Leôncio (Marcos Palmeira) e não deu certo. E tudo se repetiu. Ela foi, voltou, ele foi, ela voltou… uma roda-gigante de mais do mesmo.

O público perdeu o interesse pela história da personagem, que chegou a ficar alguns capítulos sem aparecer na tela. Enquanto isso, outros núcleos se destacavam, como a tímida Irma (Camila Morgado) com Trindade (Gabriel Sater) e o trio Maria Bruaca (Isabel Teixeira), Tenório (Murilo Benício) e Alcides (Juliano Cazarré).

Leia+: Jesuíta Barbosa se declara para Alanis Guillen

VOLTA POR CIMA

O meme chegou: “Querimbora”. Dos mais diferentes lugares, o público na internet usou fotos e vídeos de Juma para mandar recadinhos nas redes sociais. Paolla Oliveira lançou um “reel” viral na academia. E assim a plateia voltou a olhar para a protagonista.  

A caçadora também tomou lugar no centro da história quando os outros personagens passaram a acreditar na lenda de que Juma realmente virava onça. A gravidez veio, a história com o Velho do Rio tomou consistência e a protagonista cresceu.

O ápice chegou quando se transformou em ameaça real aos vilões. A cena em que ela mata Solano levantaria qualquer plateia. O parto natural, a afronta a Renato, os planos de voltar a estudar. Juma encerrou seu ciclo depois de altos e (muitos) baixos. Aplausos para Alanis Guillen!

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!

---

Tags:


×