Johnny Depp vai dirigir cinebiografia de escultor italiano

Por - 14/05/23 às 21:00

Johnny DeppJohnny Depp / Reprodução / YouTube

Johnny Depp está pronto para voltar à cadeira de diretor e anunciou seu retorno ao set para dirigir “Modi”, a cinebiografia do artista plástico e escultor italiano Amedeo Modigliani [1884-1920], história baseada na vida do artista que era popularmente conhecido como Modi entre seus amigos.

Leia+: Amber Heard nem pensa em voltar a morar em Hollywood

Depp também vai co-produzir o filme por meio de sua produtora europeia IN.2 Films, ao lado de Al Pacino e Barry Navidi.

O projeto será apresentado a potenciais compradores no Festival de Cinema de Cannes, na próxima semana, e já garantiu um elenco impressionante com o ator Riccardo Scamarcio interpretando a Modigliani, enquanto Pierre Niney assumirá o papel do artista francês Maurice Utrillo. O próprio Al Pacino interpretará o colecionador de arte Gangnat.

As filmagens estão programadas para começar em Budapeste ainda este ano.

O ator está emocionado em voltar a dirigir e expressou seu entusiasmo em trazer essa “história universalmente humana” para a telona.

FESTIVAL DE CANNES

O Festival de Cannes, que acontece entre os dias 16 e 27 de maio, já tem uma polêmica em seu bolso: O filme “Jeanne Du Barry”, que tem Johnny Depp no elenco, foi escolhido como o longa de abertura do festival. A decisão foi veiculada como controversa e polêmica por conta da batalha judicial que o ator enfrentou com Amber Heard no último ano.

Leia+: Johnny Depp se prepara para pisar em Cannes

O direto do festival apoiou a decisão e afirmou que não é uma decisão controversa e afirmou que “é o sistema de justiça”:

“Se Johnny Depp tivesse sido proibido de trabalhar teria sido diferente, mas não é o caso. Só sabemos de uma coisa, é o sistema de justiça e acho que ele ganhou o processo legal”.

Porém, não é a primeira polêmica do longa. A diretora do longa-metragem, Maïwen foi denunciada por Edwy Plenel, editor chefe da Mediapart, por uma agressão física. Em uma declaração à Variety, Fremaux também defendeu a exibição do filme e disse que a denúncia não mudaria a decisão de exibição.

Plenel alegou que Maïwenn o agrediu em um restaurante em Paris. No caso, ela teria ido até a mesa dele e o agarrou pelos cabelos. Ela teria ainda cuspido em seu rosto e saiu furiosa sem falar uma única palavra.

A Mediapart, comandada por Edwy, tomou a frente do grandioso movimento #MeToo, onde mulheres denunciaram e acusaram grandes nomes da indústria que as assediaram, importunando-as sexualmente e com acusações de agressões sexuais. Maïwenn teria guardado o ranço por alguns motivos: Ela foi casada com Luc Besson, um dos acusados e denunciados. Além de que a diretora não apoiou e declarou publicamente que era contra o movimento.

A escalação de Depp como o Rei Francês Luís XV gerou muitas polêmicas por conta das denúncias de agressões que Amber Heard levou até o tribunal. Ela foi considerada culpada pelas acusações de abuso contra Depp, mas, ele também foi condenado por difamação, juntamente com os danos morais, levando os dois até um acordo encerrando o litígio.

 

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!

Formada em Ciencias de la Comunicación (México), louca por gatos e fascinada com o mundo dos famosos. Feliz de ser parte do OFuxico desde 2000.


×