Celso Portiolli vai ao velório de Magrão. Saiba a causa-morte do diretor

Por - 10/11/23 às 16:09

Celso Portiolli comparece ao velório de MagrãoFotos: Francisco Cepeda/AgNews

Conforme OFuxico já noticiou, na madrugada desta sexta-feira, 10 de novembro, o querido diretor de TV Roberto Manzoni, o Magrão, de 74 anos, morreu em sua casa. Com uma trajetória incrível na TV, o corpo do já saudoso Manzoni está sendo velado no Cemitério Bela Vista, em Osasco, na região Metropolitana de São Paulo. O enterro acontece às 16 horas.

Uma fonte próxima a Magrão contou ao OFuxico, que a morte do direção aconteceu por causas naturais.

Trajetória de Magrão

O início de carreira aconteceu no final da década de 60, quando tornou-se operador de VT na TV Excelsior, e logo migrou para a sede paulista da TV Globo, na Rua das Palmeiras, em São Paulo. O apelido de Magrão? Ele mesmo se divertia contando de onde veio: “Era uma fase de muito trabalho, e pouco tempo pra me alimentar, então, todo mundo me que se referia a mim, dizia: ‘olha, fala com aquele magrão lá do VT… e o apelido pegou!’”.

Com talento ímpar, foi contratado para coordenar a edição de programas na “Marca Filmes” (empresa comercial do Grupo Silvio Santos) e na “Publicidade Silvio Santos”, produtora que era responsável pelo “Programa Silvio Santos” para as redes Globo e Tupi. Em rápida ascensão, Magrão virou produtor e diretor de programas, tendo dirigido os primeiros anos do sucesso “Domingo no Parque”.

No final da década de 1970, tornou-se diretor de programação da TVS Rio, canal 11 do Rio de Janeiro e, posteriormente, com a formação do SBT em 1981, manteve-se no cargo, implantando e ajustando a grade nos primeiros anos da emissora.

Em 1987, Magrão assumiu um novo desafio: começou uma parceria que durou mais de 15 anos com o saudoso apresentador Gugu Liberato, dando uma cara nova ao já bem sucedido “Viva a Noite”, criando quadros que marcaram a história da TV brasileira como o “Rambo Brasileiro”, “Eles e Elas”, “Castigo do Dia”, dentre outros. A parceria de sucesso levou Magrão a dirigir outros programas de Gugu como “Super Paradão”, “Sabadão Sertanejo”, “Paradão”, “Sabadão” e, em 1993, o “Domingo Legal”, onde a criatividade e a competência de Magrão e Gugu, fizeram deste um dos grandes marcos da TV, que permanece até os dias atuais como uma das mais bem sucedidas e queridas atrações do público que assiste televisão aos domingos, liderando a audiência e estando entre os preferidos do mercado publicitário.

No ano de 2007, após um breve período fora, Magrão retornou ao SBT para a nova versão do “Viva a Noite” e, em 2008, implantou e dirigiu o primeiro ano do “Novo Programa Silvio Santos”, sendo escolhido pelo animador para conduzir a nova atração, pela autoridade na programação dominical da TV. No ano seguinte, uma nova parceria de sucesso foi formada: Magrão e Celso Portiolli conduziram juntos respectivamente na direção e na apresentação, a nova fase do “Domingo Legal”, que logo de cara agradou ao público e manteve a emissora líder na tradição de reunir a família brasileira para o almoço de domingo.

Magrão também teve seu próprio programa na TV Gazeta, e dirigiu atrações na Band. No SBT também esteve à frente na direção de “Show de Talentos”, “Uma Hora de Sucessos”, “Sabadão com Celso Portiolli” e a versão carioca de “Sessão Premiada”, entre outros.

Tags: ,,


×