Fernanda Lima escreve desabafo após morte da mãe

Por - 16/03/24 às 14:58

Fernanda LimaReprodução/Instagram

Fernanda Lima usou as redes sociais, neste sábado, 16 de março, para desabafar a respeito da morte da mãe.

Dona Maria Tereza Pereira morreu em 9 de março aos 80 anos, em decorrência de um câncer de pâncreas.

Receba as notícias de OFuxico no seu celular!

“Parece que foi ontem, parece que faz uma eternidade, parece mentira. Me pego te mandando as fotos da Maria e caio na real. Vejo teus vídeos. São tantos… Em todos alegre, impressionante! Que gana de viver! Que generosa!”, inicia o texto.

“Engraçado que com a tua partida fichas caem sem parar. Lembro de situações, embates, momentos felizes e tristes e como tu tinha jogo de cintura pra tudo. Teu jeito de lidar, de apaziguar e também de sofrer calada, sem deixar respingar nada em ninguém. Tão bonito. Tão suave”, continuou.

Renascer: Zé Bento trai José Inocêncio e se alia ao maior rival do pai

“Foi revelador te cuidar nesses dias que ficamos coladas. Segurar tua mão a cada desconforto me remeteu ao hospital público de Porto Alegre quando tu me levou para dar pontos na testa aos 7 anos. A maca gelava meu corpinho franzino contrastada pelo calor da tua mão na minha. Sem soltar nem um segundo. Assim como segurei a tua mão frágil enquanto as enfermeiras procuravam uma veia teimosa para furar no teu pulso.”, afirmou.

“Te dar banho, te secar, escovar teus dentes, me lembrou as manhãs gaúchas de inverno molhado em Porto Alegre quando tu me acordava para catequese. Eu não conseguia fazer nada de tanto sono e tu me vestia e segurava minha mão fazendo os movimentos da escova de dentes cantando baixinho, engraçada, paciente e lúdica como sempre”, disse.

“Uma das lembranças mais bonitas que tenho é de te ver pelos corredores dos hospitais e dos sanatórios em Porto Alegre cantando praqueles que precisavam de um pouco de amor e atenção. E de repente estávamos nós duas na porta do quarto do hospital ouvindo um lindo coral caminhando e cantando pelos corredores. Eu sabia que tua vontade era sair atrás delas cantando junto pra levar alegria aos pacientes do hospital”, lembrou.

“Eu escreveria tantas coisas…As palavras pulam por cima umas das outras querendo contar tua vida. Acho que nasceria um livro de dentro de mim com tantas memórias, associações e gratidão do teu meternar doce e dedicado. Te honro, mãe!”, finalizou.

Jornalista desde 2000, iniciou a carreira como redatora do site OFuxico em 2002. Anos mais tarde, trabalhou como editora no site Famosidades (MSN), tendo passagem ainda como repórter na Quem, jornal Agora S. Paulo (Folha de S. Paulo), R7 e retornou em 2015 como editora do site OFuxico.


×