Shantal Verdelho quer condenação de médico e criminalização de violência no parto

Por - 28/07/23 às 16:20

shantalReprodução/Instagram

Shantal Verdelho concedeu uma entrevista à Vogue nesta sexta-feira, 28 de julho, para falar sobre Renato Kalil, médico acusado de ter violentado a influenciadora durante seu parto, ter se tronado réu.

Segundo ela, o alívio foi imediato: “Eu parei o carro, travei. Não sei explicar o alívio que eu senti, porque essa história não é só minha, é de todas as mulheres do Brasil”.

Sobre o caso, ela desabafou: “Essa história é de várias mulheres que passaram por isso e a vida toda foram silenciadas, a vida toda tiveram que ouvir ‘para de besteira, quanto mimimi’. De mulheres inclusive que já perderam os filhos na hora do parto por conta de violência obstétrica. Eu estou sendo ouvida, mas a minha voz não é só minha, estou falando por todas”.

“E por todas as futuras mães, futuros bebês. Esse caso representa a segurança da mulher no momento de vulnerabilidade que é o parto. A partir do momento que a violência obstétrica for criminalizada, todas as mulheres vão estar protegidas pela justiça no momento do parto. Elas vão ter direito a uma coisa tão óbvia que é segurança e respeito durante o nascimento dos seus filhos. Parece óbvio, né? Mas hoje ainda não é”, complementou.

PROCESSO ARQUIVADO

Na primeira decisão do Tribunal, o processo foi arquivado, e o sentimento de Shantal foi de frustação: “Aquele pensamento de que a Justiça no nosso país não funciona. Como que não tem provas num caso que tem vídeo gravado, áudios, mensagens, testemunha ocular e outras vítimas que passaram por algo semelhante ou até pior com o mesmo médico?”.

VOZ ATIVA!

Porém, agora, ela entende que o passado é passado e que ela pode ter um papel importante no futuro de outras mulheres.

“O que aconteceu comigo não tem como mudar. A forma como minha filha chegou, não tem como ser diferente, já foi. Não dá pra voltar no tempo, fazer um vídeo novo do meu parto e achar que foi lindo. Mas se violência obstétrica for considerada crime é a esperança de mudar o cenário de parto no Brasil. Eu consigo ter voz hoje, mas e a mulher preta da periferia, ela tem que entrar lá, ficar quieta aceitar o que vão fazer com ela, com o filho dela e pronto? Se com a blogueira não aconteceu nada, imagina com você que não tem voz, que não tem mídia”, refletiu.

“Só vou me sentir em paz a hora que de fato houver uma condenação e que seja criminalizada a violência do obstétrica. E na sequência disso que seja criado uma lei que proteja todas as parturientes. Não é possível que não exista uma cartilha de segurança e respeito para as crianças nascerem, e que (médicos) possam fazer o que quiser e a mulher tem que aguentar. É esse o momento que eu vou me sentir em paz. O que eu espero daqui pra frente é que seja criminalizado o ato de violência obstétrica”, finalizou.

JUSTIÇA REABRE CASO DE SHANTAL

O processo que Shantal Verdelho abriu contra o obstetra Renato Kalil foi reaberto pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Nesta última quinta-feira, 27 de julho, a defesa da influenciadora digital Shantal Verdelho apresentou um recurso que foi acatado pelo Ministério Público estadual e anulou o arquivamento do processo contra o médico.

Ele foi denunciado por violência psicológica e lesão corporal em 2021, crimes que teriam sido cometidos durante o parto de Shantal. As informações são do jornal O Globo.

De acordo com a publicação, os magistrados Mauricio Valala, Luiz Arruda e Sérgio Ribas tiveram decisão unânime em anularem a sentença de arquivamento do juiz Carlos Alberto Corrêa de Almeida, em outubro de 2022.

Na época, ele alegou não reconhecer provas de que Kalil teria cometido os crimes citados na denúncia.

Os advogados de Renato Kalil revelaram que entraram com recurso com relação à nova decisão no Supremo Tribunal de Justiça e que acreditam na inocência do médico e que isso será reconhecido pela Justiça.

Já a assessoria da influenciadora contou que há mais de 20 depoimentos de mulheres que também denunciam o médico pelos mesmos crimes. Ainda foi revelado que o Cremesp (Conselho Regional de Medicina) acatou as denúncias contra Kalil o impedindo, cautelarmente, de exercer a medicina até que o processo seja finalizado.

RELEMBRE O CASO

Um áudio vazado de Shantal Verdelho circulou na internet. Na gravação, a influencer revela que sofreu violência obstétrica no hora do parto da segunda filha, Domênica, do relacionamento com Mateus Verdelho, em setembro de 2021. As imagens foram feitas pela Go Pro de Mateus. O ginecologista e obstetra Renato Kalil aparece falando palavrões enquanto pede para a gestante fazer força.

“Eu estou fazendo. Eu sou a maior interessada nisso”, respondia Shantal para o médico. Durante os cinco minutos de áudio, ela diz que só percebeu que muitas coisas aconteceram depois do momento do parto. “Descobri que ele falou da minha vagina para outras pessoas. Tipo ‘ficou arregaçada, se não tiver episotomia, você vai ficar igual’”. E também disse que ele contou antes o sexo de sua bebê. “Ele quebrou o sigilo médico”.

“Simplesmente, quando a gente assistia ao vídeo do parto, ele me xinga o trabalho de parto inteiro. Fala ‘P*rra, faz força. Filha da mãe, ela não faz força direito. Viadinha’. Que ódio. Não se mexe, p*rra’… depois que vi tudo, foi horrível”, desabafou.

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!


×