Rebeca Andrade busca o ouro com ajuda de Anitta e Beyoncé. O que esperar da campeã?

Por - 30/09/23 às 10:00

Beyonce, Rebecca Andrade e AnittaO som de Beyonce e Anitta agora integram a coreografia de Rebeca Andrade - Foto: Reprodução e Foto: Ricardo Bufolin/CBG

O “Baile de Favela” que rendeu ao Brasil o pódio nas olimpíadas de Tóquio, agora é passado. Na sexta-feira, 29 de setembro, Rebeca Andrade apresentou pela primeira vez seu novo solo.

Durante o treino para o Mundial, na Antuérpia, a campeã impressionou ao evoluir ao som de Beyoncé e Anitta, mesclando com o “Baile de Favela”.

O hit “End of Time”, de Queen B, abre a nova composição. Contudo, a maior parte da coreografia é embalada por “Movimento da Sanfoninha”, de Anitta (Rafael Castilho e DJ Pimpa).

Francisco Porath, técnico de Rebeca Andrade, contou que a escolha partiu da atleta: “A Rebeca gosta muito de dançar. Tecnicamente falando, a nova música tem as mesmas posições, as diagonais, então a dificuldade é a mesma, a respiração é igual, como era a outra série. Ficou fácil de montar a parte técnica junto com a coreográfica, deixar a série bonita e competitiva também, sem precisar alterar da anterior. Então ficou construída no mesmo esqueleto”, disse o técnico.

Anitta aprova

O novo solo de Rebeca Andrade já ganhou a aprovação de Anitta. A Poderosa comentou que amou a novidade.

Anitta respondeu Rebecca através das redes sociais em um post. O comentário da cantora teve milhares de curtidas em poucas horas e os fãs da artista também celebraram a interação e parabenizaram a ginasta.

Comentário de Anitta sobre Rebeca Andrade
Reprodução/ Instagram @midianinja

O que esperar do Brasil?

Rebeca Andrade tentará ajudar a equipe brasileira a assegurar uma vaga em Paris 2024, além da defesa do título mundial do individual geral, a partir deste sábado, 30 de setembro.

Rebeca – Ouro no salto e prata no individual geral em Tóquio 2020  e bronze solo no Mundial de Livepool de 2022 – tentará defender o título do individual geral no Mundial, agora com o retorno da americana Simone Biles, em sua primeira competição internacional desde Tóquio 2020 em 2021.

  • Em 2022 Rebeca Andrade conquistou o ouro inédito para o Brasil no individual geral do Mundial de ginástica artística, em Liverpool, na Inglaterra;
  • Confirmando o favoritismo, a vice-campeã olímpica da prova passou a ser a primeira brasileira campeã mundial da prova mais tradicional da modalidade;
  • A ginasta de 23 anos passou a ser a nova a número 1 do mundo.

A britânica Jessica Gadirova e a americana Shilese Jones também são fortes concorrentes para a brasileira nas disputas individuais.

Para obter a vaga por equipes, o Brasil precisa ficar entre as nove melhores equipes na classificatória, sem contar as três que já se asseguraram em Paris 2024: EUA, Grã-Bretanha e Canadá. 

No masculino, a situação é mais delicada. O Brasil não terá dois de seus melhores ginastas: Caio Souza rompeu o tendão de Aquiles e Arthur Zanetti foi cortado de última hora por gripe. A liderança do time ficará a cargo do medalhista Olímpico e mundial Arthur Nory e de Diogo Soares.

Onde e quando assistir

Na segunda-feira, 02 de outubro, a partir das 8h (de Brasília), Rebecca Andrade vai apresentar pela primeira vez em competição o novo solo na classificatória do Mundial da Antuérpia. O torneio na Bélgico é o principal evento pré-olímpico da modalidade e vai distribuir 130 vagas para os Jogos de Paris 2024.

A partir da próxima terça-feira, 03 de outubro, iniciam as finais do Mundial da Antuérpia. A transmissão do Mundial ficará por conta do Sportv.

A equipe do Brasil é liderada por Rebeca Andrade, Arthur Nory, Jade Barbosa e Flávia Saraiva,

Equipe de ginastas brasileiros
Equipe de ginastas brasileiros – Foto: Slobodan Kadic/CBG Time brasileiro

Sábado, 30 de setembro
Classificatórias masculinas
5h-6h50 Subdivisão 1 – Turquia, Individual Geral 3, Grã-Bretanha, Cazaquistão, Brasil e Individual Geral 8
7h15-9h05 Subdivisão 2 – Especialista em Aparelho 1, Israel, Japão, Ucrânia, Bélgica, Especialista em Aparelho 2
11h-12h50 Subdivisão 3 – Austrália, Estados Unidos, Individual Geral 6, Individual Geral 5, Uzbequistão e Romênia
13h15-15h05 Subdivisão 4 – Espanha, Individual Geral 4, Países Baixos, República Popular da China, Individual Geral 10 e Alemanha

Domingo, 1 de outubro
Classificatórias masculinas
5h-6h50 Subdivisão 5 – Egito, Canadá, Individual Geral 9, Colômbia, Suíça e Individual Geral 7
7h15-9h05 Subdivisão 6 – Itália, República da Coreia, França, Individual Geral 1, Individual Geral 2 e Hungria
Classificatórias femininas
11h-12h20 Subdivisão 1 – Itália, Países Baixos, Especialista em Aparelho 2, Especialista em Aparelho 1
12h45-14h05 Subdivisão 2 – Taipé Chinesa, Estados Unidos, Individual Geral 4 e Individual Geral 7
14h30-15h50 Subdivisão 3 – Individual Geral 2, Grã-Bretanha, República da Coreia e África do Sul

Segunda-feira, 2 de outubro
Classificatórias femininas
5h-6h20 Subdivisão 4 – Individual Geral 1, Espanha, Bélgica e Romênia
6h30-7h50 Subdivisão 5 – México, Individual Geral 9, Suécia e Individual Geral 3
8h-9h20 Subdivisão 6 – Individual Geral 6, Austrália, Brasil e Individual Geral 12
11h15-12h35 Subdivisão 7 – Individual Geral 10, Áustria, Individual Geral 5 e Canadá
12h45-14h05 Subdivisão 8 – Alemanha, Hungria, Finlândia e Individual Geral 13
14h45-16h05 Subdivisão 9 – Japão, Tchéquia, Argentina e Individual Geral 8
16h15-17h35 Subdivisão 10 – França, Individual Geral 14, Individual Geral 11 e República Popular da China

Terça-feira, 3 de outubro
14h30-17h45 Final masculina por equipes (Oito melhores das classificatórias)

Quarta-feira, 4 de outubro
14h30-17h05 Final feminina por equipes (Oito melhores das classificatórias)

Quinta-feira, 5 de outubro
14h30-17h40 Final masculina do individual geral (Disputada pelos 24 melhores das classificatórias, com um máximo de dois ginastas por país)

Sexta-feira, 6 de outubro
14h30-17h Final feminina do individual geral (Disputada pelas 24 melhores das classificatórias, com um máximo de duas ginastas por país)

Sábado, 7 de outubro
9h-13h Dia 1 das finais por aparelho (Oito melhores de cada aparelho das classificatórias, máximo de dois ginastas por país)
Masculino: solo, cavalo com alças e argolas; feminino: mesa e barras assimétricas

Domingo, 8 de outubro
9h-13h Dia 2 das finais por aparelho (Oito melhores de cada aparelho das eliminatórias, máximo de dois ginastas por país)
Masculino: mesa, barras paralelas e barra; feminino: trave e solo

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino


×