Ayrton Senna estaria com 62 anos e artista emociona ao simular imagem do piloto

Por - 22/03/22 às 11:18

Ayrton SennaFoto: Divulgação

Na segunda-feira, 21, se vivo estivesse, Ayrton Senna teria completado 62 anos. Idolatrado o mundo inteiro o piloto recebeu incontáveis homenagens póstumas. Ele, que morreu no dia 1º de maio de 1994, em um trágico acidente no GP de San Marino, em Imola, Itália. Depois disso, a competição nunca mais foi a mesma. Senna ficou conhecido como o melhor piloto de todos os tempos.

Leia +: Confira a carta emocionante que Juliana Paes escreveu para Ayrton Senna

Através das redes sociais, o artista digital Hidreley Diao fez uma das mais emocionantes reverências ao saudoso piloto de Fórmula 1. Hidreley aproveitou a data para simular como o esportista estaria atualmente.

“Hoje, dia 21 de março, ele estaria fazendo 62 anos. Para homenageá-lo, quis ver como ele estaria hoje e fiz um videozinho dele dublando sua música favorita ‘The best’ da Tina Turner. Certa vez no ‘Esporte Espetacular’, ele disse que ia para os treinos com o volume no último em seu carro cantando junto essa música – escreveu ele.

Leia +: Xuxa não esconde que Ayrton Senna foi seu grande amor

A homenagem foi feita em três imagens. Na primeira foto Senna aparece posado, numa foto clássica de close, nos dias de hoje. A segunda imagem destaca uma montagem do esportista atualmente, cantando em todo o mundo, de um dos muitos triunfos do piloto. 

Ayrton Senna começou sua carreira no kart em 1973. Em 1983, conquistou o Campeonato Britânico de Fórmula 3. Esse início o tornou um grande competidor quando entrou na Fórmula 1, sendo campeão de sua categoria três vezes (1988, 1990 e 1991). 

RELEMBRE ALGYNS FEITOS HISTÓRICOS DE AYRTON SENNA

1. Campeonato mundial nunca mais
A última vez que o Brasil venceu o campeonato mundial de Formula 1 foi em 1991, com o próprio Ayrton Senna.Após a morte dele, nenhum outro brasileiro repetiu o feito. Senna foi tricampeão mundial (1988, 1990 e 1991).

2. Recorde ainda imbatível
O GP de Mônaco é o mais esperado de todo calendário da principal categoria do esporte a motor do mundo. Vencer nas ruas de Monte Carlo é sinônimo de glória eterna. A primeira vitória de Senna veio em 1987, mas sua estreia nas ruas de Monte Carlo já entraria para a história da F-1 como uma das mais impressionantes demonstrações de talento de um jovem piloto.

Leia +: Saiba como assistir um especial sobre Ayrton Senna

Em 1993, o brasileiro alcançou o sexto triunfo (sendo cinco seguidos), superando assim uma marca que parecia inalcançável, a das cinco vitórias de Graham Hill – conhecido como Mister Mônaco e único piloto do mundo a ter conquistado a tríplice coroa.

O piloto brasileiro venceu seis vezes a corrida, em 1987, 1989, 1990, 1991, 1992 e 1993. O feito fez com que o piloto ficasse conhecido como o “Rei de Mônaco” e, até o momento, nenhum outro piloto conseguiu superar essa marca.

3. Rei da Chuva
Ayrton Senna também era conhecido como o Rei da Chuva, isso porque ele tinha uma habilidade incomum em correr mesmo com a pista molhada. A chuva era um dos fatores que ajudava a equilibrar as forças entre equipes e justamente na primeira corrida de Senna nestas condições na F-1, o GP de Mônaco de 1984, ele brocou!

Leia +: Veja o mural em homenagem ao maior piloto de todos os tempos, Ayrton Senna

Fazendo sua temporada de estreia pela mediana equipe Toleman, Senna saiu da 12ª colocação no apertado circuito de rua para ultrapassar seus rivais, incluindo uma ultrapassagem por fora sobre o então bicampeão mundial Niki Lauda (que terminaria o ano como tricampeão). Não fosse a polêmica interrupção da prova na 32ª volta, esta poderia ser a primeira vitória do brasileiro, que acabou ficando em segundo, atrás de Alain Prost.

4. Venceu uma corrida com apenas uma marcha
A histórica vitória no GP do Brasil de 1991 talvez tenha sido a mais espetacular da carreira de Ayrton Senna na Fórmula 1. O piloto tinha 40 segundos de vantagem para Riccardo Patrese, mas os problemas de câmbio pioraram e o brasileiro teve de usar apenas a sexta marcha nas voltas finais.

Leia +: Xuxa acredita que relação com Ayrton Senna era ‘conexão de outras vidas’

Mas ele resistiu e venceu pela primeira vez em casa. Depois, numa mistura de alegria e dor pelo desgaste físico, Ayrton Senna urrou para comemorar.

5. Rivalidade histórica
Um dos maiores rivais de Ayrton Senna foi o francês Alain Prost e isso deixava as corridas ainda mais eletrizantes. A disputa entre os dois se intensificou durante o período em que foram companheiros de equipe na McLaren no Campeonato Mundial de Fórmula 1 em 1988 e na temporada do Campeonato Mundial de Fórmula 1 em 1989.

Leia +: Relembre uma das homenagens que Adriane Galisteu fez para Ayrton Senna

Como companheiros de equipe, Senna e Prost venceram 25 das 32 corridas nas temporadas de 1988 e 1989, significando o domínio dos pilotos sobre o campo competitivo e outros fabricantes. Senna teve 14 vitórias e 26 poles, enquanto Prost teve 11 vitórias e 4 poles e conquistou um Campeonato Mundial de Fórmula 1 cada.

A rivalidade continuou não apenas entre os pilotos, mas também entre os fabricantes quando Prost ingressou na Ferrari em 1990.

Como adversário, Senna acumulou 21 vitórias contra 12 de Prost. Durante o período de seis anos (1988-1993) em que a rivalidade estava ativa, Senna venceu 3 Campeonatos Mundiais de Fórmula 1 com Prost ganhando 2 Campeonatos Mundiais de Fórmula 1 no mesmo período, incluindo um hiato de 1 ano por Prost durante a temporada de 1992.

6. Ídolo fora das pistas
Além de ser um gigante dentro das pistas, Ayrton Senna também foi um grande ídolo fora delas. Ele sempre gostou de fazer caridade e sonhava em poder investir em um projeto em prol da educação de crianças e jovens.

Leia +: Confira fotos de Adriane Galisteu e Ayrton Senna

Seu sonho foi concretizado pelas mãos de sua irmã Viviane em novembro de 1994 com a criação do Instituto Ayrton Senna.

7. Não hesitou em salvar a vida de um rival
Durante o GP da Bélgica, em 1992, Eric Comas bateu contra o muro e seu carro estava prestes a explodir.

Ao perceber que o piloto francês estava desacordado, Ayrton Senna não pensou duas vezes ao descer do carro e desligar a ignição, salvando a vida do rival.

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!

Tags:

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino


×