Irmão de Michael Jackson é acusado de abuso sexual

Por - 30/12/23 às 20:00

Jermaine JacksonJermaine Jackson / Reprodução / Instagram /@officialjermainejackson

O irmão de Michael Jackson, Jermaine Jackson, vai começar 2024 enfrentando questões legais, depois que uma mulher chamada Rita Barrett iniciou um processo contra ele por uma suposta agressão sexual ocorrida em 1988. A mulher deu entrada na ação no Tribunal Superior de Los Angeles na quarta-feira (27), alegando nos documentos que conhecia o cantor anos antes da suposta agressão.

Barrett afirma que eles se conectaram profissionalmente em seu trabalho como contratante de músicos e através do fundador da Motown Records, Berry Gordy. Rita detalhou que, na primavera de 1988, o co-fundador do Jackson 5 chegou à casa dela sem avisar, forçou a entrada e a agrediu sexualmente ‘com força e violência’. Ela relata que chegou a “orar para Deus pedindo ajuda”, porque “temia por sua vida”.

Ela prosseguiu, observando que Berry ‘tentou encobrir’ o suposto incidente.

“O Sr. Gordy reteve e ocultou os atos”, diziam os documentos legais, “perpetuando ainda mais o encobrimento e permitindo que o Sr. Gordy, o réu Jackson e outros na relação comercial continuassem a obter lucros derivados do trabalho e da reputação do Sr. Jackson para Anos por vir.”

O processo de Rita foi aberto como parte da Lei de Abuso Sexual e Responsabilidade de Acobertamento da Califórnia. Ela pede indenização por agressão sexual, abuso sexual e negligência no caso, e também listou as empresas Jermaine L. Jackson Music Productions e Work Records como réus.

Processos Reabertos

Em agosto passado, Michael Jackson também voltou a ser alvo de um processo. Dois homens, que acusaram o cantor de cometer abuso sexual quando eram crianças, voltaram a abrir um processo contra o falecido rei do pop e a empresa que administra seu patrimônio.

De acordo com uma nova decisão do Tribunal de Apelações da Califórnia, Wade Robson, de 40 anos, e James Safechuck, 45, terão seu dia no tribunal depois que os juízes Elizabeth Grimes, John Wiley e Victor Viramontes aceitaram a reabertura do processo, onde as empresas do falecido Rei do Pop podem ser responsabilizadas por qualquer suposto abuso que ele cometeu.

Os documentos obtidos pela coluna “Page Six” do jornal “The New York Post”, afirmam: “Eles tinham todo o direito de esperar que os réus os protegessem do perigo totalmente previsível de serem deixados sozinhos com Jackson”.

Wade Robson processou o cantor em 2013, afirmando que Jackson abusou dele quando era apenas uma criança, especificamente a partir dos 7 anos de idade até os 14. O ator Safechuck, de 45, processou-o no ano seguinte, alegando que Jackson o havia preparado para o sexo quando ele apareceu pela primeira vez em um anúncio da Pepsi ao lado da estrela.

Em 2019, ambos contaram suas histórias no documentário “Leaving Neverland”, da HBO. Agora as empresas do falecido Rei do Pop podem ser responsabilizadas por sua suposta má conduta.

Tags:

Formada em Ciencias de la Comunicación (México), louca por gatos e fascinada com o mundo dos famosos. Feliz de ser parte do OFuxico desde 2000.


×