‘Elas por Elas’ estreou cheia de mudanças quanto a versão original. Saiba quais!

Por - 06/10/23 às 17:39

Carol (Karine Teles), Natália (Mariana Santos), Lara (Deborah Secco), Renée (Maria Clara Sinelli) e Taís (Késia) se reencontrando em "Elas por Elas"Foto: TV Globo/Divulgação

No último dia 25 de setembro, estreou o remake de “Elas por Elas”, nova novela das 18h da TV Globo, estrelada por Maria Clara Spinelli, Deborah Secco, Isabel Teixeira, Mariana Santos, Thalita Carauta, Karine Teles e Késia Estácio, que desde então chamou atenção por sua leveza e traços coloridos, um tanto incomuns para sua faixa horaria de exibição.

Ainda, as histórias das sete protagonistas e as formas como elas se cruzam na trama também tem sido um deleite de se assistir e acompanhar, e para quem está vendo a nova versão, surge sempre aquela dúvida: e como era a versão original? Quais mudanças ocorreram?

Pois bem, “Elas por Elas” é um remake repleto de mudanças, sejam as que vem sendo anunciadas que estão por vir, seja já feitas desde sua concepção, e OFuxico vai mostrar que mudou de cada novela para você. Confira!

NOMES NÃO SÃO TODOS IGUAIS

Helena (Isabel Teixeira), Carol (Karine Teles), Adriana (Thalita Carauta), Lara (Deborah Secco), Natália (Mariana Santos), Taís (Késia) e Renée (Maria Clara Spinelli) reunias em "Elas por Elas"
Helena (Isabel Teixeira), Carol (Karine Teles), Adriana (Thalita Carauta), Lara (Deborah Secco), Natália (Mariana Santos), Taís (Késia) e Renée (Maria Clara Spinelli) reunias em “Elas por Elas” (Foto: TV Globo/João Cotta)

O foco da novela é a amizade das sete amigas, então é claro que isso só foi transferido para o remake e as atrizes reescaladas, certo? Errado! Ciente de que é uma história inspirada e não copiada de Cassiano Gabus Mendes, Thereza Falcão e Alessandro Marson mexeram até nos nomes de suas personagens.

Lara (Deborah Secco) corresponde a Márcia (Eva Wilma), responsável por reunir as amigas 25 anos depois. Sua amiga que, sem querer, acaba sendo amante do marido dela, era Wanda (Sandra Bréa), e agora se trata de Taís (Késia). Renée (Maria Clara Spinelli) tem uma história correspondente à de Carmem (Maria Helena Dias).

Já Marlene (Mila Moreira) se transformou em Carol (Karine Teles), tendo a mesma história central, mas com mudanças predominantes. Entre outros personagens, Jonas (Mateus Solano) é uma versão atualizada de Jayme (Carlos Zara) e Sérgio (Marcos Caruso) seria Miguel (Mário Lago). Adriana, Helena e Natália foram mantidas e com as menores mudanças.

VIDAS DAS PROTAGONISTAS E AVANÇO DO FEMINISMO

Elas Por Elas - Elenco principal
Elas Por Elas destaca sete amigas e um detetive desastrado na trama central – Foto: Roberto Filho/ Brazil News

Como a versão original era de 1982, o período histórico era completamente diferente de 2023, principalmente no que diz respeito aos direitos das mulheres e pautas feministas, que avançaram bastante nesses 41 anos, e isso mudou a configuração na qual as protagonistas se encontram.

No original, todas eram donas de casa, tendo dilemas ligados a problemas domésticos e tinham muita dependência dos maridos para tomadas de decisões, com se eles dessem “a palavra final”. Aqui, a maioria delas trabalha e se sustentam sozinhas, e nem todas são casadas ou tem filhos, focando mais em suas próprias jornadas pessoais.

RENÉE É UMA MUDANÇA HISTÓRICA POR SI SÓ

maria clara spinelli como renée em elas por elas
Foto: TV Globo/Estevam Avellar

A maior mudança em elação à versão original com certeza é Renée, que mesmo bebendo da fonte de Carmen, sofreu as maiores mudanças em relação à sua contraparte da década de 1980, e trouxe aqui a primeira protagonista trans das novelas da emissora, com uma atriz que também é trans.

Essa mudança acabou gerando um ponto histórico dos folhetins brasileiros, com uma representatividade marcante e feita de maneira certeira e natural, sem que a personagem fique restrita à sua identidade de gênero, sendo apenas uma de suas várias características, e um ponto a ser exaltado pelo avanço da diversidade nas histórias.

Sobre sua história, Renée se casou Wagner (César Mello), e criou filhos dele, Tony (Richard Abelha) e Vic (Bia Santana), que agora são seus filhos, e os quatro cuidam da padaria da família. Ainda, o marido some de suas vidas por escolha, após se enfiar em muitas dividias secretamente. Ela então morará com sua irmã, Érica (Monique Alfradique), cujo marido, Edu (Luís Navarro), é preconceituoso.

No original, Carmem era uma mulher cisgênero, e não trabalhava, se dedicando completamente à casa e ao marido, Rubião (Ivan Cândido), e os filhos do casal eram Elton (Cássio Gabus Mendes) e Vic (Ana Helena Berenguer). O conflito do cunhado, que se chamava René (Reginaldo Faria), não era preconceito, e sim que ela considerava “acomodado”.

Ainda, Rubião morre ao invés de fugir, e ela se apaixona pelo cunhado, o que não deve acontecer na atual versão, já que o cunhado é transfóbico e casado com sua irmã, que não existia na versão original, com o mais próximo sendo Cláudia (Christiane Torloni), mulher que se apaixonava por René, sem relações sanguíneas entre elas.

MÁRIO FOFOCA E AS MULHERES

Elas Por Elas - Mário Fofoca (Lázaro Ramos)
Mário Fofoca (Lázaro Ramos),o detetive mais atrapalhado do Brasil – Foto: TV Globo/ Fábio Rocha

Personagem masculino com maior destaque e que mais é lembrado quando se fala em “Elas por Elas”, com certeza é Mário Fofoca, vivido pelo saudoso Luís Gustavo e agora interpretado por Lázaro Ramos, que conquistou a todos com jeito atrapalhado e ingênuo.

O que diferenciará as duas versões que no original, o detetive era mulherengo, enquanto no remake, Mário Cury não detém essa personalidade, e até mesmo nutre uma paixão platônica por Érica, que como já dissemos, é casada com Edu, que por um acaso, é o melhor amigo de Mário.

AMBIENTAÇÃO E FOCOS

Isabel Teixeira, Karine Teles, , Mariana Santos, Maria Clara Spibelli, Deborah Secco, Késia Estácio e Thalita Carauta
Isabel Teixeira, Karine Teles, , Mariana Santos, Maria Clara Spibelli, Deborah Secco, Késia Estácio e Thalita Carauta protagonizam a nova trama das 18h – Foto: Roberto Filho/ Brazil News

Um detalhe interessante é que a trama de 1982 se passava na cidade de São Paulo, enquanto a de 2023 tem o Rio de Janeiro como cenário, e com isso, toda a ambientação acaba sendo diferente, seja ao fundo, em pontos turísticos ou nas referências e dialetos dos personagens.

Ainda, a trama de quem matou Bruno (Luan Argollo) deve ficar em segundo plano, enquanto a vida das protagonistas e os romances da história serão o foco principal.

“É uma releitura que mantém o espírito da novela original, que é um espírito leve, de comédia. A gente trouxe mais complexidade às tramas individuais. Vai ter mais romance do que na novela original, alguns conflitos mais dramáticos”, adiantou Thereza Falcão, durante coletiva de imprensa da novela.

O QUE AINDA VIRÁ DE DIFERENTE?

Resumo dos capítulos de Elas por Elas de 29/09 a 14/10
Reprodução Globo

E as mudanças apenas começaram, pois estão previstas muito mais, a começar pelas histórias que são diferentes aqui, como a de Renée, que deve ganhar outros rumos. Aliás, segundo a coluna Play, do jornal OGlobo, comandada por Anna Luiza Santiago, os desfechos estão todos em abertos, e nem todos seguirão a trama original.

Isso gera a maior curiosidade da novela até então: vão manter quem assassinou Bruno a mesma pessoa? Ou até quem já sabe a identidade do assassino será surpreendido aqui? Só assistindo para saber!

Aliás, a colunista ainda revelou que a partir do capítulo cem até o último (previsto para ser o 173), uma história tolamente nova será contada ao público, mas ainda com base em uma ideia da versão anterior.

Na nova versão, Alessandro Marson e Thereza Falcão vão explorar uma ideia de Cassiano Gabus Mendes censurada pela ditadura militar em 1982, que apesar de ser aparentemente simples, mudará completamente o desenrolar da trama.

No remake, Jonas e Adriana, apaixonados na juventude, terão uma nova chance de vive rum amor na vida adulta. Ele irá morar com ela depois de deixar a mulher, Helena, que se casou com o bonitão após contar que estava grávida dele.

Tags: ,,

Raphael Araujo Barboza é formado em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. OFuxico foi o primeiro lugar em que começou a trabalhar. Diariamente faz um pouco de tudo, mas tem como assuntos favoritos Super-Heróis e demais assuntos da Cultura Pop (séries, filmes, músicas) e tudo que envolva a Comunidade LGBTQIA+.


×