Príncipe Harry quase abandonou a vida na realeza antes de casar com Megan

Por - 30/05/23 às 14:22

Príncipe Harry quase abandonou a vida real anos antes de conhecer MeganGrosby Group

Segundo relatos, o príncipe Harry sonhava com uma vida longe da Família Real muito antes de se casar com Meghan Markle, mas acabou permanecendo por mais alguns anos devido à sua lealdade à sua falecida avó, a Rainha.

A nova vida do príncipe Harry na Califórnia, ao lado de sua esposa Meghan Markle, está muito distante de seus dias mais jovens. Crescendo na Família Real, ele estava acostumado a representar a monarquia em cerimônias oficiais e eventos.

Mas desde que deixou o Reino Unido no início de 2020 para viver nos Estados Unidos, ele e Meghan lançaram uma série na Netflix, um podcast no Spotify e, é claro, sua controversa autobiografia “Spare” (O Que Sobra).

No entanto, parece que sua decisão de abandonar a vida na realeza já havia sido programada anos antes do seu casamento com Meghan. Em uma entrevista concedida em 2017, o Duque de Sussex teria admitido que sair da Instituição foi algo que sempre almejou.

Em uma conversa, posteriormente relatada pelo Mail On Sunday, Harry, então com 32 anos, falou sobre suas dificuldades, mas disse que decidiu permanecer graças a uma pessoa muito querida de sua família. Segundo relatos, ele disse: “Passei muitos anos esperando por algo e não queria crescer. Sentia que queria sair, mas então decidi ficar e encontrar um papel para mim mesmo”, acrescentou, revelando que sua motivação era sua lealdade à sua falecida avó, a Rainha.

Harry disse ainda: “Estou determinado a ter uma vida relativamente normal e, se tiver a sorte de ter filhos, eles também poderão ter uma.”

Enquanto isso, agora foi revelado que, na época dessa entrevista, em 2017 – pouco antes de seu noivado com Meghan – Harry, juntamente com seu irmão, o príncipe William, tiveram uma reunião secreta com o mordomo de sua falecida mãe.

ENCONTRO COM O MORDOMO

Fontes próximas a realeza contam que Harry e William se encontraram com Paul Burrell uma semana antes de Harry anunciar seu noivado com Meghan. Conta-se que Burrell ” relembrou algumas memórias” da falecida Princesa Diana na “reunião muito discreta”.

Além de trabalhar com Diana, o ex-mordomo, que também serviu como criado da falecida Rainha, era conhecido por ser confidente de Diana. Após a morte prematura da princesa, em 1997, aos 36 anos, Burrell escreveu um livro sobre ela, o que deixou Harry e William desapontados.

Os irmãos se encontraram com o ex-mordomo sozinhos em 2017, onde ele respondeu a todas as perguntas que eles tinham e reataram o bom relacionamento.

Uma fonte real do The Sun disse: “Foi uma reunião muito discreta, mas os irmãos precisavam esclarecer muitas coisas.

AUTOR DIZ QUE LIVRO NÃO FOI TRAIÇÃO

Após lançar seu livro A Royal Duty (Um Dever Real, em tradução livre), o ex-mordomo negou ter traído a memória da princesa Diana.

O livro traz trechos de cartas escritas por Diana e outras recebidas por ela, além de afirmações a respeito de seu casamento, divórcio, relacionamentos e morte. Na época do lançamento, muitos trechos picantes foram publicados em tabloides britânicos e reproduzidos em todo o mundo.

Na ocasião Harry e William, divulgaram uma nota condenando Burrel pela publicação do livro. O ex mordomo respondeu: “Gostaria muito de ver os dois príncipes. (…) Estou muito disposto a me sentar com eles e explicar o processo de escrever esse livro e porque eu o escrevi (…) Se lessem a história inteira, não ficariam magoados. (O livro) é um tributo à mãe deles.”

apa do livro A Royal Duty escrito por Paul Burrell
Capa do livro A Royal Duty escrito por Paul Burrell – Reprodução
---

Idealizadora do site OFuxico, em 2000 segue como CEO e Diretora de Conteúdo do site. Formada em jornalismo pela Faculdade Casper Líbero, desde os anos 1980 trabalha na área do jornalismo de entretenimento. Apaixonada por novelas, séries, reality, cinema e estilo de vida dos famosos.


×