‘Golpes e maus tratos’: Entenda a polêmica envolvendo a viúva de Gal Costa

Por - 07/07/23

Golpes e maus tratos: Entenda a polêmica envolvendo a viúva de Gal Costa

Um caso impressionante e assustador veio à tona na edição do mês de julho da conceituada revista Piauí. Segundo a publicação, Wilma Petrillo, empresária e companheira da falecida cantora Gal Costa por quase 30 anos, é acusada de assédio moral, ameaças e golpes financeiros, resultando na falência da renomada artista. A revista foi lançada nesta quinta-feira, 6 de julho e revela supostos segredos da vida em comum de Gal e Wilma, que até então permaneciam desconhecidos.

A revista ouviu treze pessoas: seis ex-funcionários que trabalharam com a cantora, seis amigos e um parente. Todos afirmaram que as finanças de Gal minguaram no período em que ela viveu ao lado de sua companheira.

A matéria afirma que Wilma é acusada de ignorar os desejos de Gal Costa quanto ao local de seu enterro. Segundo o seu irmão, a cantora desejava ser sepultada no Rio de Janeiro, ao lado de sua mãe, mas, sob a influência de Wilma, foi enterrada em São Paulo, no mausoléu da família da empresária. As decisões tomadas no funeral decepcionou fãs  que alegam que tudo o que foi feito após a sua morte não condiz com a grandeza da artista. Além disso amigos próximos a cantora, como o ator Ciro Barcelos que relatou seu sentimento ao chegar ao velório de Gal: “Me desesperei quando vi o caixão sendo fechado, sem aplausos, sem uma homenagem digna. Tinha um clima de frieza no ar”.

 O diretor Daniel Filho, amigo de Gal e de Wilma, declarou ter ouvido histórias sobre o passado de Wilma, mas que jamais chegou a uma conclusão. “Sei lá, é um mistério. Dizem muita coisa, mas eu prefiro ficar com a versão da Wilma.”

Outro relato impressionante presente na revista informa que no mausoléu onde Gal está enterrada, não existe sequer uma lápide com o nome da cantora. Fãs visitam o local costumam colocar fotos e dizeres sobre o túmulo.

AFASTAMENTO DA FAMÍLIA, RELACIONAMENTO ABUSIVO E FALÊNCIA

Os supostos golpes teriam começado antes mesmo do envolvimento do casal. Antes de conhecer Gal Costa, Wilma namorava a arquiteta Margarida Jacy, com quem teve um relacionamento de três anos e meio e compartilhava uma casa. No entanto, após conhecer Gal, Wilma Petrillo desapareceu da vida de Jacy e nunca pagou sua parte na propriedade. Há especulações de que Wilma tenha dilapidado toda a herança deixada por sua rica família paulista e que tenha recorrido a golpes para manter seu padrão de vida. Segundo relato do médico Bruno Prado, ex-amigo do casal, Wilma pediu emprestado 15 mil reais, alegando que Gal precisava de uma cirurgia. Após receber o dinheiro, Wilma desapareceu da vida de Prado e passou a ameaçá-lo, levando-o a registrar uma ocorrência policial que foi resolvida em uma audiência em 2012.

Guto Burgos, irmão de Gal Costa e responsável pela administração de sua carreira, foi afastado quando Wilma entrou em cena. Gal decidiu trabalhar com outra pessoa e se distanciou de seu irmão em 1997, o que foi um momento estranho para ambos, considerando a estreita amizade que possuíam. A partir desse momento, os interesses empresariais e as finanças de Gal passaram a ser controlados por Wilma, e a cantora reduziu o contato com a maioria de seus amigos. O telefone fixo da nova casa sempre estava ocupado ou as chamadas eram direcionadas para a caixa postal.

Guto Burgos revelou que Gal já possuíra oito salas comerciais, uma cobertura e um apartamento, além de propriedades em Salvador, Trancoso e Nova York, mas morreu sem nenhum desses bens. Essa situação causa dor e dá a sensação de que todo o trabalho da cantora foi em vão. O filho de Gal, Gabriel, herdou apenas um apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo, como o ativo de maior valor. O imóvel foi adquirido em 2020 por 5 milhões de reais.

PROBLEMAS FINANCEIROS E HUMILHAÇÕES

Um ex-funcionário descreveu a conta bancária de Gal Costa como um “buraco negro”. Segundo ele, presenciou uma discussão entre o casal em 2015, na qual Gal questionou por que o dinheiro entrava e desaparecia enquanto as dívidas não paravam de aumentar. Wilma respondeu insultando Gal, dizendo que ela era velha e que as pessoas não queriam mais contratá-la.

Wilma Petrillo não aceitou conceder uma entrevista à Piauí. Seu advogado enviou uma advertência à revista, afirmando que tomaria medidas judiciais caso a matéria fosse publicada.

JORNALISTA PEDE AUTÓPSIA PARA ESCLARECER MORTE DE GAL

Após ler a reportagem, a jornalista Hildegard Angel usou as suas redes sociais para lançar um movimento empenhado em exigir a realização de uma autópsia no corpo de Gal Costa. Ela afirma que, após tantas acusações, é necessário esclarecer a causa da morte da cantora.

“Dadas as recentes revelações, os fãs de Gal Costa pedem ao Ministério Público uma autópsia já. O mal súbito da cantora não nos convence”, escreveu em seu Instagram.

Hildegard é filha da estilista Zuzu Angel, irmã do ex-militante político Stuart Angel Jones.

Hildegard Angel atuou como na televisão como atriz, em novelas como “ O Barão Otelo no Barato dos Bilhões”,  “ Selva de Pedra”, “ Dancin’ Days” e “ O Pulo do Gato”, entre outras.

No teatro fez parte do elenco de produções como “As Feiticeiras de Salém” e “Bonifácio Bilhões”, entre outras.

Em 1993  fundou o “Instituto Zuzu Angel”, em homenagem a sua mãe, cuja morte foi considerada suspeita.

---

Tags:

Idealizadora do site OFuxico, em 2000 segue como CEO e Diretora de Conteúdo do site. Formada em jornalismo pela Faculdade Casper Líbero, desde os anos 1980 trabalha na área do jornalismo de entretenimento. Apaixonada por novelas, séries, reality, cinema e estilo de vida dos famosos.