Morre Max Lopes, o ‘Mago das Cores’. Quem era ele?

Por - 24/09/23 às 16:50

Max LopesMax Loprs era conhecido como "Mago das Cores" - Foto: Reprodução/ Instagram @maxlopescarnavalesco

Morreu, neste domingo, 24 de setembro, o carnavalesco Max Lopes, de 74 anos. Conhecido no Carnaval como “Mago das Cores”, ele lutava contra um câncer.

“Max Lopes deu entrada no Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no sábado (23), com quadro de insuficiência múltipla dos órgãos, em decorrência de um câncer de próstata avançado”, informou a Secretaria de Saúde de Maricá, onde ele vivia, na.

Na manhã deste domingo, Max teve uma parada cardiorrespiratória. O advogado do artista Paulo Boia, disse que há 8 meses o carnavalesco precisou fazer uma cirurgia no intestino.

Um dos últimos registros de Max Lopes foi feito em março de 2022, um ensaio de rua da Unidos do Viradouro, ao lado de Erika Januza, rainha da bateria da vermelho e branco.

O corpo do carnavalesco será velado em cerimônia aberta e cremado em seguida, na segunda-feira, 25 de setembro, no Parque da Colina, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Max Lopes e Erika Januza
Um dos últimos registros de Max foi ao lado de Erika Januza – Foto: Reprodução/ Instagram @maxlopescarnavalesco

Quem era Max Lopes

Carioca nascido em 1938, ele começou no carnaval como auxiliar de Fernando Pamplona. Assinou o primeiro desfile em 1976, na Unidos de Lucas, com “Mar baiano em noite de gala”.

No ano seguinte, fez “Viagem fantástica às terras de Ibirapitanga” na Imperatriz, na estreia no Grupo Especial.

O primeiro desfile de destaque foi em 1982, com “É hoje!”, na União da Ilha do Governador, com um samba-enredo histórico em cima de um livro de Haroldo Costa com ilustrações de Lan.

  • Max Lopes foi campeão do histórico desfile da Mangueira em 1984, “Yes, Nós Temos Braguinha”;
  • Este foi o primeiro desfile a ser realizado na então recém-inaugurada Passarela do Samba Professor Darcy Ribeiro, o Sambódromo carioca;
  • O artista assinou também os campeões “Liberdade! Liberdade! Abra as Asas sobre Nós” (Imperatriz Leopoldinense, 1989) e “Brasil com “Z” é pra cabra da peste, Brasil com “S” é nação do Nordeste” (Mangueira, 2002);
  • Max Lopes também teve passagens por Vila Isabel, Viradouro, onde foi campeão do grupo de acesso em 1990 (“Só vale o escrito”), Santa Cruz, Unidos de Lucas, Grande Rio, entre outras agremiações.

Tags:

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino


×