Artistas se revoltam e pedem providências para a Ilha de Marajó. Entenda!

Por - 22/02/24

Ilha de Marajó - Rafa Kalimann, Thaila Ayala e Luisa Sonza

Após a cantora gospel Aymeê lançar a música “Evangelho de Fariseus”, a Ilha de Marajó ganhou os olhares de muitas pessoas e um sina de alerta acendeu. A artista exibiu a música na semifinal do Dom Reality, no último dia 16 de fevereiro.

Relembre novela da Globo gravada na Ilha e Marajó

Na canção, Aymeê destaca a exploração sexual de crianças na ilha paraense. Dessa forma, a discussão sobre o problema na região voltou à tona.

Diversos vídeos de moradores relatando casos de exploração sexual de menores na região também vem sendo postados nas redes sociais.

Receba as notícias de OFuxico no seu celular

Inconformados, vários artistas cobraram as autoridades ações efetivas no combate dos casos de tráfico humano de menores de idade para prostituição. 

O ex-BBB Eliézer, por exemplo, pediu ajuda aos fãs e seguidores: “Sobre o que acontece na ilha. Estou lendo tudo o que posso agora. E estou perplexo. Por favor, façam igual, pesquisem, leem, se informem. Está acontecendo por anos debaixo do nosso nariz e ninguém faz nada para ajudar aquelas crianças”, disse o pai de Lua.

O que os artistas falam sobre a Ilha de Marajó

Consternada, Rafa Kalimann pediu providencias emergenciais. Vale ressaltar que ela sempre esteve engajada em campanhas sociais e regularmente participa missões na África.

Claudia Leitte gravou clipe contra a exploração sexual

“Cabe a nós, é de reponsabilidade nossa exigir, apontar o dedo e dar voz para essas denúncias tão sérias. Algo precisa ser feito agora em relação a essas crianças.  Compartilhe, falem sobre e vejam o que está acontecendo. Tem muita informação rolando”, pediu a artista.

“Dilacerada porém infelizmente não surpresa. Eu já ouvi falar de algumas ‘Marajos’ por esse Brasil. Num país onde centenas de crianças são estupradas no por dia (e esse número são levantados pelas denúncias, agora imagina quantas outras centenas de crianças passam por isso diariamente). Desespero por Marajó, por essas mães, filhos, vítimas dessa política podre do nosso país!”, escreveu Thaila Ayala.

GKay também se pronunciou: “Por favor, quem for meu seguidor, vamos fazer uma corrente. Isso é tão desumano, tão podre”, pediu a influenciadora digital.

Na Itália, onde participará da semana de moda de Milão, MC Daniel não ficou de fora: “Todo mundo tem que postar, principalmente quem é famoso. Bora usar os números para ajudar as pessoas também?”, pediu o cantor, incentivando outros artistas.

Entenda o caso

Na última sexta-feira (16), um vídeo em que a cantora Aymeê Rocha fala sobre o desaparecimento de uma criança viralizou nas redes sociais. A canção cita denúncias de exploração, o que revoltou artistas. A Ilha de Marajó abriga o município com o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. 

A situação, entretanto, não é nova. Em 2019, por exemplo, o assunto teve destaque quando a então ministra da Família e Direitos Humanos, Damares Alves, alertou que a região abrigava um grande esquema de tráfico e prostituição de menores.

Na época, a agora senadora pelo Republicanos lançou o programa Abrace o Marajó, que tinha como objetivo implantar ações sociais para reduzir a fome, situação apontada como determinante para o alto índice de casos de exploração sexual, visto que as crianças estariam se prostituindo por não ter o que comer.

O programa recebeu muitas críticas de organizações civis e instituições públicas pela baixa atuação no arquipélago. Em 2021, contudo, o Ministério Público Federal (MPF), a Defensoria Pública da União (DPU), o Ministério Público do Pará (MPPA) e Defensoria Pública do Estado do Pará (DPE) questionaram o governo federal sobre as denúncias.

Em 2022, após Damares voltar a falar sobre a situação na Ilha de Marajó em um culto evangélico, autoridades do Pará, como o MP, pediram para que a então ministra apresentasse provas das acusações, mas elas nunca foram entregues.

https://twitter.com/misteriouspavao/status/1760645430029811925

Qual é a atual situação da Ilha de Marajó

Primeiramente, o Ministério Público Estadual entrou com uma ação civil pública contra a senadora. Já o Ministério Público Federal acionou a União e a ex-ministra pedindo uma indenização de R$ 5 milhões por danos sociais e morais coletivos. Estes serão revertidos em favor de projetos sociais destinados à região, por fim.

Xuxa e Camila Pitanga já fizeram campanhas contra exploração sexual infantil

Nos últimos dias, a senadora Damares compartilhou a canção da cantora e recebeu apoio nas redes sociais. Com a volta do assunto, diversos vídeos de moradores relatando casos de exploração sexual de menores na região foram postados nas redes sociais. 

Atualmente a Ilha do Marajó é contemplada pelo Programa Cidadania Marajó, que foi lançado pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, com o objetivo de combater o tráfico e o abuso sexual de crianças e adolescentes.

A população local, assim sendo, volta a cobrar de políticos, autoridades e órgão públicos ações para combater os casos de tráfico humano de menores de idade para prostituição sexual.

Tags:

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino