Denílson sobre dívida de Belo: ‘Não existe nenhuma pendência’

Por - 01/12/23 às 16:39

Denilson e BeloFotos: Reprodução/Instagram

A dívida milionária entre Belo e Denílson parece ter finalmente chegado ao fim, após 22 anos. O ex-jogador de futebol se pronunciou sobre o assunto nesta sexta-feira, 1 de dezembro, e afirmou que não existem mais pendências entre ele e o ex-cantor do Soweto.

“Esta semana saiu que o Belo me devia uma parcela de alguma coisa relacionada ao nosso acordo. Está tudo certo entre mim e o cantor. O Belo não me deve nada. Existia pendência de uma parcela, mas essa pendência já foi resolvida. Está tudo certo e vida que segue”, disse o empresário em um vídeo nas redes sociais.

Na legenda, ele reforçou que o acordo foi resolvido. “Recadinho. Está tudo certo, para alegria de alguns e tristeza para outros… Não existe mais nenhuma pendência entre mim e Belo já há algum tempo. Só o que restava era uma outra situação que também já está resolvida. Agora, o que pode acontecer sou eu tocando aquele tantan na turnê do Soweto”, acrescentou Denílson.

Em suas redes sociais, Belo ainda postou o vídeo de Denilson e debochou: “Será que ele vem? Me fala que eu mando o PIX, penta”, escreveu o cantor.

Belo publica sobre dívida com Denilson
Belo publica sobre dívida com Denilson – Foto: Reprodução/Instagram @belo

Relembre o caso

A dívida entre Belo e Denílson já durava cerca de 22 anos, era de R$ 7 milhões e começou quando o ex-jogador gerenciava a banda de pagode Soweto, que tinha o cantor como líder. A parceria foi rompida em 2000, quando Belo deixou a banda para seguir carreira solo, tendo uma quebra de contrato.

Na época, Denílson foi à Justiça e processou o pagodeiro, que foi condenado em 2004 a pagar uma indenização. Porém, ele chegou a fazer cobranças públicas ao cantor, que não quitou sua dívida durante anos.

O acordo entre Belo e Denílson finalmente saiu em julho deste ano. O anúncio foi feito pelo ex-jogador, e atual comentarista na Band, por meio das redes sociais. “O cantor Belo e eu conversamos e, de forma amigável, chegamos a um acordo. É de suma importância ressaltar a todos que nossas divergências nunca foram pessoais, ao contrário, elas eram – e portanto não são mais – no campo jurídico”, começou.

“Como homens, adultos e profissionais que somos, era importante colocar fim a esse imbróglio que nos afastava há mais de 20 anos. Hoje, com alegria, damos por encerrado esse assunto. Muito obrigado a todos os envolvidos. Agora é olhar pra frente… ACABOU!!!”, completou.


×