Alexandre Correa consegue autorização da Justiça para ver o filho. Saiba detalhes!

Por - 02/12/23

Alexandre Correa e o filho, Alexandre, na piscina

Em despacho proferido na sexta-feira, 1º de Dezembro, a juíza Andrea Ribeiro Borges, da 1ª Vara Criminal e de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Itu, autorizou o empresário Alexandre Correa a ver o filho, Alexandre, fruto do seu relacionamento com Ana Hickmann.

De acordo com a magistrada, a medida protetiva concedida para que Alexandre não se aproxime de Ana Hickmann não impossibilita que ele possa visitar o menino de 9 anos. Ela determina na decisão, que o encontro do pai com o filho seja intermediado por terceiros.

“Assim, a fim de evitar-se evidente prejuízo à criança, enquanto não estabelecido regime de visitas na Vara de Família competente, estas deverão dar-se por intermédio de terceiros”, diz a juíza.

A medida atende a um pedido dos advogados Enio Martins Murad e Diva Carla Bueno Nogueira, que representam o empresário. Eles entraram com um pedido de revogação parcial da medida protetiva concedida à apresentadora.

O que aconteceu com Ana Hickmann e Alexandre Correa

No último dia 11 de novembro, Ana Hickmann denunciou Alexandre Correa, com quem estava casada há 25 anos e tem um filho, Alexandre, de 10 anos. Na data, o empresário passou do limite, levando a apresentadora a pedir ajuda policial.

Ana foi escoltada até um hospital em Itu, interior de São Paulo, após sofrer agressão verbal e física do ex.

A cada dia, notícias de agressões físicas, psicológicas e verbais surgem, tornando a vida de centenas de mulheres um verdadeiro caos. Medo de denunciar; medo do que pode acontecer, entre outros, muitas vezes limita a vítima de pedir ajuda.

Contudo, a Lei número 11.340, mais conhecida como Lei Maria da Penha, tem ajudado muitas mulheres. A Lei ganhou este nome em homenagem à sua criadora, que sofreu de violência e deu um basta, buscando ajuda para a criação da Lei que ajuda a proteger mulheres.

Maria da Penha Maia Fernandes nasceu em Fortaleza-CE, em 1º de fevereiro de 1945. Ela é farmacêutica bioquímica, formada pela Faculdade de Farmácia e Bioquímica da Universidade Federal do Ceará (1966), tendo concluído seu mestrado em Parasitologia em Análises Clínicas na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo em 1977. Além disso, é autora do livro “Sobrevivi… posso contar” (1994) e fundadora do Instituto Maria da Penha (2009).

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino