Governo israelense critica Gigi Hadid: ‘Estamos de olho em você’

Por - 17/10/23

Gigi HadidGigi Hadid / Reprodução / Instagram /@gigihadid

Semana passada, Gigi Hadid expressou sua opinião sobre a crise em Israel e na Palestina nas redes sociais. Ela condenou o Hamas pelo terrorismo e a violência contra civis, mas também expressou empatia pela luta palestina. A modelo de 58 anos compartilhou em seu Instagram, uma carta, lamentando o que está acontecendo, e agora o governo israelense passou a criticá-la.

A carta de Gigi dizia: “Os meus pensamentos estão com todos os afetados por esta tragédia injustificável, e todos os dias em que vidas inocentes são ceifadas por este conflito – muitas das quais são crianças (…) Tenho profunda empatia e tristeza pela luta palestina e pela vida sob ocupação, é uma responsabilidade que carrego diariamente. Também sinto a responsabilidade para com os meus amigos judeus de deixar isso claro, como já fiz antes: embora tenha esperanças e sonhos para os palestinos, nenhum deles inclui o dano de um judeu. O terror de pessoas inocentes não está alinhado e não faz nenhum bem ao movimento ‘Palestina Livre’”, escreveu.

Ela continuou: “Se você está sofrendo, ao compartilhar minhas condolências hoje com meus entes queridos, tanto palestinos quanto judeus, estou lhe enviando meu amor e força, seja quem for e onde quer que você esteja. Existem muitos sentimentos complexos, pessoais e válidos, mas todo ser humano merece direitos, tratamento e segurança básicos; não importa a sua nacionalidade, religião, etnia ou onde nasceram. Sei que minhas palavras nunca serão suficientes ou curarão as feridas profundas de tantos, mas rezo sempre pela segurança de vidas inocentes.”

O governo israelense respondeu à postagem de Hadid, acusando-a de ignorar os ataques do Hamas contra civis israelenses e ainda acusou-a de apoiar o Hamas, o que ela negou.

“Você dormiu na semana passada, Gigi? Ou para você está bem fechar os olhos para bebês judeus sendo massacrados em suas casas? Seu silêncio tem sido muito claro sobre sua posição. Estamos de olho em você”, escreveram eles no Instagram.

“Não há nada de valente no massacre de israelenses pelo Hamas. Condenar o Hamas pelo que ele é (ISIS) não é anti-Palestina e apoiar os israelitas na sua luta contra terroristas bárbaros é a coisa certa a fazer.”

Polêmicas

Bella Hadid não teme mostrar de que lado está. No ano passado a modelo compartilhou seu sentir sobre o assunto.

“Lágrimas em meus olhos vendo esta cena no meu caminho para o trabalho esta manhã… Todos os dias eu desejo poder voltar no tempo, para quando eu era criança, para que eu pudesse começar a lutar mais cedo pela Palestina, por minha família, por meus anciãos, nossa história e pelo o povo palestino que ainda vive, agora, sob esta ocupação traiçoeira, exaustiva e dolorosa.”

“Todos os dias eu desejo que pudéssemos ter cumprido os últimos desejos de Jido e Teta (vovô e vovó) de serem enterrados em sua terra natal, onde nasceram, cresceram e começaram sua família juntos”, escreveu Hadid.

“Os palestinos ainda hoje não têm o direito de retornar à Palestina.”

Citando o ex-primeiro-ministro israelense David Ben Gurion, que disse uma vez: “os velhos morrerão e os jovens esquecerão (a Palestina)”, Hadid prometeu: “Tenho uma promessa a fazer. Nunca permitirei que ninguém esqueça nossa bela Palestina ou nosso lindo povo.”

“Minha intenção é que minha verdade possa espelhar a verdade de outra pessoa. Quando eu tinha 14 anos, escrevi ‘Free Palestine’ na minha mão literalmente com flores pintadas. E eu estava sendo chamada de tantos nomes, e sendo imediatamente criticada como uma pessoa de ódio por outras pessoas”, relata.

Em 2017, Bella foi fotografada em um protesto da Palestina Livre em Londres. Ela participou de outro protesto em 2021 em Nova York.

---

Formada em Ciencias de la Comunicación (México), louca por gatos e fascinada com o mundo dos famosos. Feliz de ser parte do OFuxico desde 2000.