Por que filho de Zezé di Camargo não pode mais citar o pai?

Por - 29/01/24 às 18:47

Zezé di Camargo e Igor CamargoFotos: Reprodução/Instagram

Graciele Lacerda, noiva de Zezé di Camargo, venceu mais um passo da briga judicial com Amabylle Eiroa, esposa de Igor Camargo. O início da briga se deu por um perfil falso nas redes sociais e, agora, o caçula não pode mais mencionar o nome do pai nas redes sociais ou em entrevistas.

Amabylle já estava proibida de falar o nome dos sogros, assim como o perfil atribuído a Graciele, e teve que apagar todas as publicações e comentários em que acusava a noiva do sertanejo. Com a nova decisão, Igor também deve fazer o mesmo.

“Absterem-se de realizar publicações/comentários em suas postagens em todas as redes sociais sobre o assunto envolvendo a vítima Graciele e seu companheiro Zezé Di Camargo; absterem-se de dar entrevistas a qualquer canal televisivo/programa, podcast, jornais, revistas e similares, sobre o assunto envolvendo a vítima Graciele e seu companheiro Zezé Di Camargo; excluírem todas as postagens e comentários já realizados direcionados à vítima Graciele e seu companheiro Zezé Di Camargo ou com marcações diretas aos seus perfis em todas as redes sociais”, revelou o documento obtido por Fábia Oliveira, do Metrópoles.

Caso eles quebrem o combinado, podem chegar até a ser presos por crime de desobediência. Igor reagiu à notícia nas redes sociais e disse que não aceitará censura. “Posso ir preso se precisar, mas não vou ser censurado… Sempre que eu precisar me defender com a verdade, como sempre fiz, vou exercer o meu direito”, escreveu nas redes sociais.

De acordo com os advogados de Zezé e Graciele, a Justiça vem reconhecendo que os dois “são vítimas de uma ilícita campanha difamatória promovida nas redes sociais”. 

“Por fim, ao contrário do que a grande mídia tem divulgado, não existe nenhuma ação judicial promovida por Amabylle Eiroa Feitosa, Igor Godoi Camargo e/ou Wanessa Godoi Camargo contra Graciele Lacerda”, reforçou a equipe jurídica do casal, representada por Matheus Pupo e João Mazzieiro.   


×