Carnaval 2024: Tati Minerato mostra as garras paulistanas na Porto da Pedra

Por - 11/02/24 às 22:00

Tati Minerato e Giovana Cordeiro na Porto da PedraTati Minerato e Giovana Cordeiro na Porto da Pedra - Leo Franco / Ag News

De volta à elite do Carnaval, onze anos depois de amargar o penúltimo lugar no desfile de 2012, a Porto da Pedra está com sede de vitória. A agremiação, que tem o tigre como símbolo, destaca à frente dos ritmistas a soberana rainha da bateria Tati Minerato.

A rainha Tati Minerato reza seu terço antes do desfile da Porto da Pedra - Leo Franco / Ag News
A rainha Tati Minerato reza seu terço antes do desfile da Porto da Pedra – Leo Franco / Ag News

Tati não é “nova” na folia, uma vez que já traz anos de experiência na Gaviões da Fiel. Na escola de samba paulistana, que frequentava desde a infância, a campeã do “Power Couple 3” se familiarizou com o samba.

Como resultado de tanto comprometimento, ela estreou na vermelho e branco de São Gonçalo no ano passado. Apesar das raízes na Terra da Garoa, onde o samba cresce progressivamente, ela fincou o pé no Rio.

Giovana Cordeiro no desfile da Porto da Pedra
Giovana Cordeiro, a una de Fuzuê, no desfile da Porto da Pedra – Leo Franco / Ag News

Antes da soberana, Valesca Popozuda, Ellen Rocche, Angela Bismarchi e Solange Gomes também reinaram à frente dos ritmistas da agremiação, atualmente comandada por Mestre Pablo.

Para sambar e encantar desfilar à frente dos ritmistas, Tati Minerato se dedicou à prática do crossfit, exercício que aumenta seu condicionamento físico. Assim sendo, a soberana fez questão de marcar presença em todos os ensaios da agremiação.

Por conta disso, a loira alugou um apartamento por temporada em Niterói, cidade vizinha à sede da Porto da Pedra.

O desfile da Porto da Pedra

A Unidos do Porto da Pedra reverencia os ensinamentos do livro Lunário Perpétuo. Trata-se de um almanaque ilustrado que prometia decifrar a ciência dos astros, a previsão do tempo e até o comportamento dos insetos.

Conhecimentos como esses eram reunidos na grande enciclopédia dos saberes populares, manual escrito há cinco séculos pelo sábio espanhol Jerónimo Cortés.

O livro desembarcou no Brasil por volta de 1700. Além disso por cerca de 200 anos, foi o mais lido do Nordeste brasileiro, segundo o historiador Câmara Cascudo. Inclusive ele mesmo tinha um exemplar na mesinha de cabeceira.

Segundo o carnavalesco Mauro Quintaes, a influência do Lunário no sertão nordestino era imensa. Tanto que as xilogravuras dele ainda serviram de inspiração para a literatura de cordel, embora já existissem outros artistas.

Em meio a tudo isso, a fantasia da rainha da bateria ficou guardada a sete chaves. Tati prometeu ostentar, mostrando que faz jus ao título de soberana do Tigre de São Gonçalo. Certamente, vai causar!

---

Tags: ,,

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino


×