‘Mais uma vítima’, detona Neymar, após morte de Jéssica Canedo

Por - 24/12/23

Neymar

A morte precoce de Jéssica Canedo comoveu o país. A menina de 22 anos foi vítima de uma fake news de que era o novo caso amoroso do humorista Whindersson Nunes e, diante de ataques nas redes sociais, acabou se suicidando. A notícia se espalhou por meio das redes sociais do “Choquei”, que tem 22 milhões de seguidores.

Entre para a comunidade OFuxico no WhatsApp

Mãe de Jéssica Canedo desabafa após morte da filha

Tanto Whindersson quanto Jéssica desmentiram o fato, mas os ataques não pararam. Após a notícia da morte da menina, muitas pessoas se manifestaram, entre elas, Neymar.

“Diversos sites de fofoca, redes de TV e todos os tipos de meios de comunicação têm que tomar muito cuidado com o que você posta ou fala. Aos haters, vocês que propagam o ódio, os que sabem de tudo, os donos da verdade, os santinhos que nunca erram PARABÉNS. Fizeram mais uma vítima” O discurso na Internet, de respeitar o próximo, não existe. Ódio real de todas essas pessoas que se escondem atrás de perfil na internet pra falar mal de outra pessoa” disse Neymar, que ainda relembrou que ele mesmo é alvo constante de fake news.

Whindersson Nunes ficou muito abalado com a notícia, e chegou a se manifestar em um comunicado enviado à imprensa sobre o corrido, lembrando de seu filho com Maria Lina Deggan, João Miguel: “Estou extremamente triste. Voltei ao dia em que perdi meu filho. Que ninguém passe pela dor de enterrar um filho”.

Já o Perfil Choquei, que publicou a suposta conversa entre Jéssica e Whindersson, apagou a postagem e divulgou uma nota oficial. Apesar de mutirão para tentativa de retirada da página do Choquei do ar, nada foi feito pelas plataformas digitais.

Além de Neymar, Gil do Vigor também fez um alerta nas redes sociais.

“Gente, no dia 8 de novembro, eu fiz um post aqui no meu feed falando sobre um desabafo sobre as redes sociais, a forma que nós utilizamos as redes sociais. E analisando, vendo tudo o que está acontecendo agora, e vendo as redes sociais de ontem para hoje, fiquei muito triste porque, de fato, gente, já passou de todos os limites. Eu acho que, como sociedade, precisamos voltar e debater um pouquinho a utilização das redes sociais. E eu acho, gente, que tanto quem posta como quem compartilha, quem comenta, quem curte, quem está ali… acho que o problema é muito maior. Não dá para querer achar um culpado, gente. Eu acho que é, de fato, um problema que está todo mundo envolvido. Eu acho que está na hora de nós pararmos um pouquinho e analisarmos, sabe? ‘Em que momento eu faço parte disso?’, e ‘como eu posso mudar a minha atitude perante a internet para que coisas como essa não venham a acontecer novamente?’ As pessoas estão ficando adoecidas, a gente não sabe mais o que posta. Para vocês terem noção, quando um influenciador faz um conteúdo sobre, por exemplo… Eu fiz no meu canal, Matemática do Vigor, eu fiz lá meu projeto, o Aulão do Vigor. Gente, essas coisas não repercutem. Por quê? Porque as pessoas não comentam, não engajam. Por quê? Porque não é uma polêmica. Se eu me envolvo em uma polêmica, sai em tudo quanto é lugar, aquela agonia toda”, contou.

Ele continuou: “Só que eu acho que nós precisamos parar como sociedade e começarmos a valorizar projetos que são, de fato, importantes para a nossa sociedade. Uma polêmica engraçada e tal, que não faz mal a ninguém, a gente está ali resenhando, tudo bem, gente. Mas acho que tem um momento que tem um limite, sabe? Acho que chegou um momento em que nós precisamos analisar: ‘caramba, que tipo de conteúdo eu vou compartilhar? Será que esse conteúdo eu preciso compartilhar? Será que esse conteúdo não vai ofender alguém? Será que, com as minhas palavras, não vou machucar uma pessoa? Será que o que vou comentar no post não vai ofender aquela pessoa?’ Nós somos seres humanos, gente! Vou ler os comentários, entendeu? Isso vai me machucar, vai me ofender.”

“Então, acho que a gente pode medir um pouquinho: ‘caramba, se eu falar isso eu acho que vai ser muito pesado. Vou medir de que forma vou falar isso’. Então, acho que nós precisamos, de fato, como sociedade, todos nós, analisarmos de que forma nós vamos utilizar as redes sociais. Porque, gente, já passou de todos os limites”, finalizou.

Jornalista desde 2000, iniciou a carreira como redatora do site OFuxico em 2002. Anos mais tarde, trabalhou como editora no site Famosidades (MSN), tendo passagem ainda como repórter na Quem, jornal Agora S. Paulo (Folha de S. Paulo), R7 e retornou em 2015 como editora do site OFuxico.