Jada Pinkett Smith e Will Smith ficaram separados por seis anos

Por - 11/10/23 às 16:00

Will e Jada Pinkett SmithWill e Jada Pinkett Smith / Reprodução / Instagram /@willsmith

Jada Pinkett Smith revelou em uma entrevista à revista “People”, em meio à promoção de seu novo livro de memórias “Worthy”, que ela e seu marido, Will Smith, ficaram separados por seis anos antes da polêmica em que se envolveram no Oscar de 2022, quando o ator deu um tapa em Chris Rock, por ofender a atriz e apresentadora.

Jada contou que eles ainda estão tentando descobrir seu relacionamento, após essa separação.

“Temos trabalhado muito duro juntos. Nós nos amamos profundamente e vamos descobrir como isso significa para nós”, explicou.

Na entrevista, Jada afirmou que ela e o ator ainda “vivem separados”:

“Estamos tentando descobrir o que é melhor para nós”, comentou, garantindo que estão empenhados em trabalhar no seu relacionamento. “Estamos em uma jornada. E não tem sido fácil.”

Pinkett Smith também afirmou na entrevista que apesar da bofetada de Smith em Rock, que inicialmente ela achou que fosse uma paródia, ela disse que sempre apoiará Smith.

“Estarei ao lado dele. Mas também vou deixar que ele descubra isso sozinho.”

Os atores se casaram em 1997 e tem dois filhos, Jaden e Willow. Em 2020, Pinkett Smith admitiu ter tido um caso extraconjugal com o cantor August Alsina. Smith revelou mais tarde que ele e Pinkett Smith tem um casamento aberto.

Depressão

Em uma nova entrevista à revista “People”, Jada Pinkett Smith reconheceu que, apesar de seu sucesso e da fama, ela sofreu “crises de depressão”, por volta de seu aniversário de 40 anos. A atriz, que é casada com Will Smith, afirmou que passou por momentos muito difíceis com ‘sentimentos avassaladores de desesperança’.

Essa e outras revelações ela conta em seu novo livro “Worthy”, cujo trecho foi publicado pela revista, onde Jada compartilha: “Por duas décadas, eu estava fazendo uma cara boa, seguindo o fluxo, dizendo a todos que estava bem. No entanto, por baixo, crises de depressão e desesperança avassaladora arderam até se transformarem em fogo infernal em meu coração partido. Sentimentos indesejáveis – de não merecer o amor – tornaram mais difícil entender a desconexão entre a chamada vida perfeita que eu havia alcançado e o bem de perda que carreguei comigo”, relata.

“A terapia ajudou até certo ponto. Cheguei aos quarenta! Mas para que fim?”, disse, admitindo que naquela época ela era uma “bagunça crônica”, e que somente seus filhos, Jaden, hoje com 25 anos, e Willow, 22, eram suas únicas motivações para seguir.

“Mais tarde eu seria diagnosticada e informada de que sofro de um trauma complexo com TEPT [transtorno de estresse pós-traumático] e dissociação, mas sem esse guia, eu era uma bagunça crônica sem solução, sem possibilidade de cura”, afirma.

“Todas as manhãs, acordar era como caminhar na prancha da desgraça – conseguiria chegar às 16h? Se pudesse, teria sobrevivido ao dia. Sempre quis dormir, mas nunca dormi bem. Meus filhos conseguiam colocar um sorriso em meu rosto e eram minha única motivação para me manter em movimento, mas cada vez mais eu sentia que estava perdendo o controle da conexão com eles”.

O livro de memórias de Jada Pinkett-Smith, “Worthy”, será lançado em 17 de outubro.

Tags:

Formada em Ciencias de la Comunicación (México), louca por gatos e fascinada com o mundo dos famosos. Feliz de ser parte do OFuxico desde 2000.


×