No Rancho Fundo: Saiba detalhes sobre a Cenografia e a produção de arte

Por - 15/04/24 às 10:10

No Rancho Fundo - Quinota (Larissa Bocchino)Quinota (Larissa Bocchino) - Reprodução Instagram

Para a construção da cenografia de “No Rancho Fundo”, a equipe liderada pela cenógrafa Anne Bourgeois reuniu referências de viagens a cidades do Norte e Nordeste.

Receba as notícias de OFuxico no seu celular

Com isso, desponta na novela um sertão de casas coloridas e singelamente emolduradas pelas platibandas. Essa é uma característica arquitetônica bastante comum no interior dessas regiões e em cidades históricas do Brasil.

E isso permeia os dois universos: tanto Lasca Fogo, quanto Lapão da Beirada, fazendo com que a cenografia em si carregue uma dose de realismo fantástico.

 “Temos uma fábula. Existe a liberdade para construir esse lugar que não existe, mas que, ao mesmo tempo, carrega essa estética tão comovente que há no coração do nosso país”, explica Anne.

Lasca Fogo, cenografia perfeita

Construído nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, o distrito de Lasca Fogo foi o ponto de partida do projeto cenográfico da novela. A casa que abriga os Leonel Limoeiro, motivo de orgulho dessa família, tem inspiração em residências coloridas de Pernambuco. Está em uma área de cerca de 3,5 mil metros quadrados, por onde também estão a vegetação típica e circulam os animais da família.

No Rancho Fundo: Eduardo Moscovis e Débora Bloch formam casal

O produtor de arte Guga Feijó explica que a casa dos Leonel Limoeiro foi conceituada a partir de dois aspectos: simplicidade e encantamento. 10

Para fazer a pedra que vai mudar a vida de Zefa Leonel (Andrea Beltrão) e de sua família. a produção de arte se inspirou na própria turmalina paraíba. Porém, com um tamanho maior e com elementos que a deixassem mais rústica.

Outra curiosidade, entretanto, está na reprodução de uma balsa de dragagem, usada em garimpos de fundo de rio, numa proporção menor. Tem ainda características mambembes, utilizada em cenas de flashback de Zefa Leonel, quando ela realizava esse tipo de atividade há três décadas.

Lapão da Beirada

Ocupando 6,7 mil metros quadrados de área nos Estúdios Globo, está a cidade cenográfica de Lapão da Beirada, com sua “arquitetura inacreditável”, na definição entusiasmada de Anne.

No Rancho Fundo: Confira detalhes da música de abertura

Maior símbolo da face cosmopolita da cidade, o Grande Hotel São Petersburgo conta sobretudo com referências europeias e um misto de estilos: tem lobby, bar, porta giratória, jardim externo e uma decoração interior marcante.

Para o cenógrafo Guga Feijó, trata-se de um hotel boutique, marcado pelo requinte, e que reforça essa atmosfera fantástica da história. O hotel está na agitada rua Vileganhon, que é inspirada em cidades históricas tombadas, onde se pode visitar lojas sofisticadas em prédios antigos.

Quais são as notícias do momento?

A cidade de Paraty, por exemplo, é uma dessas referências. Na Vileganhon, construções com pintura caiada, placas luminosas e cores fortes “enfeitiçam” seus consumidores.

Cabaré Voltagem

Outro lugar igualmente importante de Lapão da Beirada é o Cabaré Voltagem. Guga explica que, conceitualmente, o cabaré é, antes de mais nada, um teatro antigo, com um palco onde ocorrem as apresentações, e que tem um ar de um espaço que já foi sofisticado um dia.

Rafael Saraiva, do Porta dos Fundos, está em novela da Globo

Elementos da cidade prometem despertar a memória afetiva do público, que é convidado a mergulhar nesse sertão mágico de “No Rancho Fundo”. Além das casas bem familiares, Lapão da Beirada terá uma praça com coreto, fazendo dos Estúdios Globo um pedaço do interior do Brasil.

Tags: ,

É jornalista formada pela Universidade Gama Filho e pós-graduada em Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa pela Estácio de Sá. Ela é nosso braço firme no Rio de Janeiro e integra a equipe de OFuxico desde 2003. @flaviacirino


×