Um mês após tiro na cabeça, Mingau recebe auxílio de ventilação respiratória

Por - 02/10/23 às 15:24

Foto de Mingau, olhando para o lado, de boné, com fundo verdeFoto: Reprodução Instagram @mingaultraje

Nesta segunda-feira, 02 de outubro, completa um mês do momento em que Mingau foi baleado na cabeça. O baixista do Ultraje a Rigor, permanece internado na UTI do Hospital São Luiz, Unidade Itaim, da Rede D’Or, em São Paulo. De acordo com o boletim médico divulgado nesta segunda-feira, 02 de outubro, o músico está sem sedação e tem recebido suporte para ventilação respiratória.

“O Hospital São Luiz do Itaim, da Rede D’Or, informa que o paciente Rinaldo Amaral (“Mingau”) segue internado em Unidade de Terapia Intensiva. O paciente está sem sedação. Para auxílio na ventilação respiratória, foi iniciado revezamento de uso de cateter de alto fluxo acoplado a traqueostomia e bipap (compressor que funciona ‘imitando’ a respiração padrão do paciente). O paciente vem recebendo suporte fisioterapêutico e o quadro clínico é considerado estável”, assina o documento o médico neurocirurgião Dr. Manoel Jacobsen Teixeira.

Na última quarta-feira, a equipe médica já havia anunciado que a fase de hipertensão intracraniana do baixista foi superada. Apesar de abrir os olhos, Mingau ainda não interage conscientemente com o ambiente. A família e os fãs continuam aguardando sua recuperação.

Recapitulando o caso:

  • Mingau foi vítima de um tiro na cabeça, no dia 02 de setembro, em sua viagem por Paraty, quando saiu de sua pousada em Trindade com um amigo para comprar comida, segundo depoimento do rapaz que o acompanhava.
  • O carro do baixista foi alvejado por tiros, ao passar pela Praça do Ovo, na Ilha das Cobras, e um deles atingiu a cabeça do músico;
  • Seu estado era grave e ele foi transferido por uma UTI helicóptero do Corpo de Bombeiros até São Paulo, onde está internado na UTI do Hospital São Luís;
  • No dia 05 de setembro, o neurocirurgião, Dr Manoel Jacobsen Teixeira, conversou com a imprensa, revelando o que viram nos exames e cirurgia do músico: o projétil penetrou na caixa craniana na região frontal esquerda, e não ficou retido dentro do crânio, o que, provavelmente, atravessou e se perdeu no ambiente onde houve o acidente;
  • Mingau passou por cirurgias e esteve em coma induzido até o dia 16 de setembro, quando reduziram a sedação e a ventilação mecânica
  • No dia 20 de setembro, Mingau começou a reagir e abriu os olhos.

Tags:


×